Agronegócio

Purunã é atração do IDR-Paraná na ExpoLondrina

Uma das principais atrações do IDR-Paraná na ExpoLondrina é a demonstração de um lote de bovinos Purunã, raça desenvolvida pela pesquisa paranaense que vem ganhando adeptos em todas as regiões do Brasil. Trata-se é um bovino composto. Isso significa, traduzindo o jargão técnico, que resulta de cruzamentos dirigidos e controlados, neste caso envolvendo as raças Charolês, Aberdeen Angus, Caracu e Canchim. É a primeira raça de bovinos para corte desenvolvida no Estado e também a única criada por um centro estadual de pesquisas no Brasil.

 

“O crescimento do interesse é extraordinário, principalmente em estados do Norte e Nordeste. Não demora e será uma das raças mais comercializadas no país”, afirma Piotre Laginski, pecuarista de Cascavel e integrante da diretoria da Associação Brasileira de Criadores da Raça Purunã (ABCP).

 

De acordo com o pesquisador José Luiz Moletta, Purunã conjuga as qualidades de cada uma das raças utilizadas em sua formação. Charolês contribuiu com ganho de peso rápido, rendimento de carcaça e elevado porcentual de carnes nobres. Angus conferiu precocidade, tamanho adulto moderado e temperamento dócil, além da carne macia e de bom marmoreio. Caracu e Canchim transmitiram rusticidade, tolerância ao calor e resistência aos parasitas.

 

Moletta acrescenta que as vacas Purunã se destacam pela habilidade materna e boa produção de leite, características herdadas de Caracu e Angus, e que touros da raça têm bom desempenho em regiões de clima quente.

 

A raça é apropriada a uma ampla gama de criadores, do mais simples ao mais especializado, para manejo em pasto ou confinamento, podendo ser adotada para criação exclusiva ou em cruzamentos com vacas Nelore e aneloradas para terminação.

 

PROJETO

 

A raça Purunã foi oficialmente reconhecida pelo Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em novembro de 2016.

 

Sua formação começou no início da década de 1980, quando os pesquisadores do Iapar (atual IDR-Paraná) observaram a dificuldade dos criadores em conduzir acasalamentos com o objetivo de aumentar o rendimento de seus rebanhos — eles desconsideravam parâmetros fundamentais para obter o melhor das raças que cruzavam. Daí surgiu a ideia de oferecer aos pecuaristas um composto já pronto.

 

HOMENAGEM

 

O nome presta um tributo à Serra do Purunã, acidente geográfico que demarca a transição entre o Primeiro e o Segundo Planalto do Paraná e bem próximo da Estação de Pesquisa Fazenda-Modelo, unidade do IDR-Paraná em Ponta Grossa onde foi desenvolvido todo o trabalho de cruzamentos e seleções que resultou na nova raça.

 

FEIRA

 

Considerada uma das maiores feiras agropecuárias do Brasil, a Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina acontece de 1 a 10 de abril no Parque Governador Ney Braga. Além de negócios, o evento oferece uma grande gama de entretenimentos. Atrai, em média, 500 mil visitantes. Na última edição (2019) a movimentação econômica chegou a R$ 615,6 milhões.

 

Entre as atividades, criadores apresentam animais e genética tanto de gado zebuíno quanto europeu; pequenos produtores participam de dezenas de cursos realizados por instituições de ensino e pelo Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná); institutos de pesquisa lançam novas cultivares; são expostos e julgados bovinos, ovinos, caprinos, equinos.

 

Texto: AENPR
Foto: IDR

Comentários